sábado, 28 de março de 2009

1ª Oficina Artística (oficial) no Projeto Arrastão
28 de Março de 2009
O projeto Social que fizemos para o Projeto Arrastão. No total são 4 atividades expressivas contendo 10 oficinas de arte. Para conhecer meu trabalho, entre em meu site aonde produzo uma extensa produção artística, clicando aqui

"Fundado em 1968, o Projeto Arrastão é uma organização sem fins lucrativos que trabalha o desenvolvimento comunitário por meio de ações de promoção social, educacional e cultural.

O nome vem da técnica de pesca para retirada de todo tipo de peixes do mar. Não por acaso, uma música com o mesmo nome, vencedora do I Festival de Música Popular Brasileira, em 1965, tornou-se famosa pela força de seus versos, cantados por Elis Regina. Transformamos estrofes em sonhos e pessoas em peixes, para que possamos abraçá-las em nossa rede.

Entre as ferramentas que o Projeto Arrastão disponibiliza, estão a Brinquedoteca, a Sala de Leitura e uma Biblioteca, que fortalecem a formação das 400 crianças atendidas por este programa

Atividades e linguagens extracurriculares são oferecidas aos adolescentes do Núcleo Sócio-Educativo, em horário alternativo ao ensino regular. São 240 alunos com acesso a aulas de cidadania, informática, educação ambiental, entre outros temas relevantes ao desenvolvimento infanto-juvenil, além dos 45 integrantes do Arrasta-lata, um grupo de crianças e adolescentes com idade entre 7 e 14 anos, que trabalha a música como meio de conscientização sobre a importância da preservação do meio ambiente, reutilização e reciclagem do lixo.

Nossas ações se estendem com o Programa de Formação de Jovens, trabalhando a faixa etária entre quinze e vinte e um anos de idade. Cursos, oficinas e núcleos de trabalho proporcionam ao jovem formação em diversas áreas de interesse. Todo este trabalho é permeado pelo estímulo ao empreendedorismo e à construção de projetos de vida.

Dedicamos especial atenção às mais de 700 famílias atendidas de forma direta. São diversos programas e projetos que atendem às necessidades básicas, que vão dos mutirões voluntários para esclarecimento de questões jurídicas à capacitação para recolocação profissional.

E o trabalho continua além dos nossos portões. Enxergamos o desenvolvimento comunitário como ponto estratégico para a continuidade do nosso ciclo de trabalho. Para isso, investimos na formação de educadores da rede pública de ensino, em linguagens como arte e leitura e, em parceria com o poder público, executamos um amplo projeto de reurbanização de favelas que está beneficiando mais de 700 famílias na cidade de Taboão da Serra."

Entrada principal do Projeto Arrastão
Júlio fazendo pose na entrada interna do Projeto Arrastão
Hiroshi fazendo pose no pátio principal do Projeto ArrastãoCorredor no primeiro andar aonde se encontra a oficinaJúlio fazendo pose na porta da oficina.
Hiroshi fazendo pose na entrada da oficinaAdentrando na Oficina do Projeto ArrastãoParticipantes adolescentes da oficina trabalhando numa gravura em papelãoDetalhe de um trabalho sendo finalizado, usando três técnicas de raspagemTurminha procurando uma imagem para para começar fazer a matrix Iniciando a raspagem do papelão para se fazer a matrixOutra raspagem sendo feita no papelão - detalhe do estudo feito na folha de papelAlunas trabalhando na oficina

Manequins doados para trabalhos artísticos, há uma grande variedade de artes espalhadas no corredorDetalhe de um manequim com intervenção artísticaDetalhe da missão do Projeto Arrastão (ideologia Institucional), clique na imagem para ver maior e conseguir ler o texto. Para maiores informações entre no site: http://www.arrastao.org.br/

"Founded in 1968, the trawler Project is a nonprofit organization that works to community development through actions to promote social, educational and cultural.

The name comes from the fishing technique for removal of all types of fish of the sea. Not surprisingly, a song with the same name, won the I Festival of Brazilian Popular Music in 1965, became famous by virtue of its verses, sung by Elis Regina. Stanzas in dreams and transform people into fish so that we can embrace them in our network.

Among the tools that the Project provides trawler, are the Library of Arts, the Reading Room and Library, which strengthen the training of 400 children served by this program
video
Extracurricular Activities and languages are offered to adolescents of Socio-Educational Center, in time to alternative education. Are 240 students with access to lessons in citizenship, computer science, environmental education, among other themes relevant to children's development, in addition to the 45 members of the Drag-tin, a group of children and young people aged between 7 and 14 years, working music as means of awareness on the importance of environmental preservation, reuse and recycling of waste.

Our actions are extended to the Training Program for Youth, the working age group between fifteen and twenty-one years of age. Courses, workshops and working groups provide training to the young in several areas of interest. All this work is permeated by the encouragement of entrepreneurship and the construction of life projects.

We devote special attention to over 700 families served in direct. Various programs and projects that meet basic needs, ranging from volunteer to volunteer clarification of legal issues to professional training for replacement.

And the work continues beyond our gates. See the community development and strategic point for the continuation of our cycle of work. For this, we invested in the training of educators in public school system, in languages such as art and reading and in partnership with the public power, running a project to reurbanização of slums that is benefiting over 700 families in the city of Sierra Taboão . "

----------------------------------------------------

domingo, 22 de março de 2009

Eu e um amigo e colega de classe, o Júlio ( o que aparece meio "fora de gestalt" na foto da do curso de contação de histórias) juntamos apenas nós dois para realizar os estágios obrigatórios de Psicologia Social e Comportamental.

O fato de eu ter a graduação e a experiência como professor de educação artística e minha produção em meu atelier me ajudaram muito em conseguir bastante contatos para os estágios (vimos outros alunos tendo muita dificuldade em suas buscas). Ajudou também o fato de ter diversos albúns artísticos na internet que adcionava como "links de habilidades" nas cartas de apresentação.

A intenção era desenvolver oficinas artísticas que pudessemos conciliar nas observações e análises sociais e comportamentais durante as atividades. Por vezes fomos confundidos por estagiários de educação artística do que estagiários de psicologia, mas esclarecemos nossa verdadeira intenção e tudo ocorreu muito bem em ambas as partes (a nossa e da Instituição).

Checamos várias Instituíções pela internet e pelo site do voluntáriado (V2V) na qual tenho um perfil de ação por lá. Foram enviados cartas de apresentação e recebemos num prazo de 2 semanas depois, vários contatos a maioria vindas por e-mail. Dentre estas mensagens, o que nos chamou a atenção e viemos ter contato foram com o Projeto Arrastão, as Casas Taiguara, o Abrigo Casa Limiar e a Associação ProBrasil

Depois de muito contato via e-mail, marcamos uns dias para ir ao local fazer um primeiro contato e conhecer as ações sociais e missão. A primeira foi o Projeto Arrastão que tivemos uma ótima relação social e depois de outras visitas, tivemos acesso em conhecer algumas oficinas de jovens (nossa intenção era trabalhar com adolescêntes) e projetos sociais e médicas com a comunidade.
Fechamos um contrato com o Projeto Arrastão (agradecimentos a Sra. Marta, Selma e Solange) em desenvolver 10 oficinas artísticas (junto com a análise social em prática - 120 horas) com jovens entre 17 a 21 anos num grupo de 12 pessoas, todos os sábados, das 10:00 ás 12:30am.

O bacana em estagiar no Projeto Arrastão é que no Projeto Social que entregamos para a diretoria também inclui desenvolver um site para promover, divulgar e informar sobre esse trabalho que os participantes desenvolveram, ou seja, teremos um trabalho todo documentado. Então provavelmente não muito distante desta data que escrevo em meu blog, estaremos divugando algumas fotos deste estágio social.

O segundo lugar que viemos conhecer foi as Casas Taiguara (agradeçendo ao Sr. Rénne pelo encontro), fomos na unidade administrativa que fica no Bexiga/SP na Rua Treze de Maio para conhecer a missão que é colher crianças e adolescentes em situação de risco social, ou seja, aqueles que estão nas ruas (foco principal) ou em poder dos conselhos tutelares, em ambos os casos, afastados dos pais e familiares. Acabamos desistindo pois o estágio comportamental exigia que tivessemos uma oficina com crianças ou adolescentes fixos e que não pudesse haver constantes trocas no grupo que nao foi o caso. O bacana aqui também , é que nós foi oferecido as "portas abertas" no futuro para desenvolver algum Projeto social com as Casas Taiguara.O terceiro encontro foi no Abrigo Casa Limiar que fica próximo a Vila São José, o abrigo é uma organização não governamental (ONG) brasileira, sem fins lucrativos, fundada em 1984, que vem se dedicando às crianças que são encaminhadas pelas Varas da Infância e Juventude por se encontrarem em situação de risco pessoal e social, impossibilitados de permanecerem com a família ou em situação de abandono. São crianças com problemas de saúde que necessitam de tratamento médico/hospitalar. Portanto cada criança abrigada na Casa Limiar tem um motivo específico para permanecer abrigada. No dia da primeira visita, fui sozinho e acabei me interessando por essas crianças, logicamente vi também um grande desafio e responsabilidade ali postado diante de mim. Conversei com meu amigo júlio e acabamos fechando um contrato com o Abrigo, trabalhando com 10 oficinas artísticas (usando a teoria do behaviorismo radical) em crianças (ambos os sexos) entre 11 á 14 anos de idade num grupo de 6 ao total até o final de todas as oficina (80 horas). Marcamos nossas oficinas das 13:40 ás 15:30pm, todos os sábados (2009).

O quarto encontro acabou não acontecendo (agradecemos ao Sr. Odair Andrade do ProBrasil pelo contato por e-mail), porque conseguimos concluir os estágios necessários em curto prazo de tempo. O que nos permitiu ser um dos primeiros grupos da classe em já começar estagiar. Outro fato é que alguns grupos, desenvolveram os estágios num único lugar, fazendo o social e o comportamental juntos. A ídeia de fazer um estágio em cada lugar, de fato foi poder ter mais experiências nestas áreas, pois temos interesse na Psicologia Social e Clínica, e o melhor caminho é vivenciar estas novas possibilidades, desafios e responsabilidades.
--------------------------------------------------