domingo, 22 de março de 2009

Eu e um amigo e colega de classe, o Júlio ( o que aparece meio "fora de gestalt" na foto da do curso de contação de histórias) juntamos apenas nós dois para realizar os estágios obrigatórios de Psicologia Social e Comportamental.

O fato de eu ter a graduação e a experiência como professor de educação artística e minha produção em meu atelier me ajudaram muito em conseguir bastante contatos para os estágios (vimos outros alunos tendo muita dificuldade em suas buscas). Ajudou também o fato de ter diversos albúns artísticos na internet que adcionava como "links de habilidades" nas cartas de apresentação.

A intenção era desenvolver oficinas artísticas que pudessemos conciliar nas observações e análises sociais e comportamentais durante as atividades. Por vezes fomos confundidos por estagiários de educação artística do que estagiários de psicologia, mas esclarecemos nossa verdadeira intenção e tudo ocorreu muito bem em ambas as partes (a nossa e da Instituição).

Checamos várias Instituíções pela internet e pelo site do voluntáriado (V2V) na qual tenho um perfil de ação por lá. Foram enviados cartas de apresentação e recebemos num prazo de 2 semanas depois, vários contatos a maioria vindas por e-mail. Dentre estas mensagens, o que nos chamou a atenção e viemos ter contato foram com o Projeto Arrastão, as Casas Taiguara, o Abrigo Casa Limiar e a Associação ProBrasil

Depois de muito contato via e-mail, marcamos uns dias para ir ao local fazer um primeiro contato e conhecer as ações sociais e missão. A primeira foi o Projeto Arrastão que tivemos uma ótima relação social e depois de outras visitas, tivemos acesso em conhecer algumas oficinas de jovens (nossa intenção era trabalhar com adolescêntes) e projetos sociais e médicas com a comunidade.
Fechamos um contrato com o Projeto Arrastão (agradecimentos a Sra. Marta, Selma e Solange) em desenvolver 10 oficinas artísticas (junto com a análise social em prática - 120 horas) com jovens entre 17 a 21 anos num grupo de 12 pessoas, todos os sábados, das 10:00 ás 12:30am.

O bacana em estagiar no Projeto Arrastão é que no Projeto Social que entregamos para a diretoria também inclui desenvolver um site para promover, divulgar e informar sobre esse trabalho que os participantes desenvolveram, ou seja, teremos um trabalho todo documentado. Então provavelmente não muito distante desta data que escrevo em meu blog, estaremos divugando algumas fotos deste estágio social.

O segundo lugar que viemos conhecer foi as Casas Taiguara (agradeçendo ao Sr. Rénne pelo encontro), fomos na unidade administrativa que fica no Bexiga/SP na Rua Treze de Maio para conhecer a missão que é colher crianças e adolescentes em situação de risco social, ou seja, aqueles que estão nas ruas (foco principal) ou em poder dos conselhos tutelares, em ambos os casos, afastados dos pais e familiares. Acabamos desistindo pois o estágio comportamental exigia que tivessemos uma oficina com crianças ou adolescentes fixos e que não pudesse haver constantes trocas no grupo que nao foi o caso. O bacana aqui também , é que nós foi oferecido as "portas abertas" no futuro para desenvolver algum Projeto social com as Casas Taiguara.O terceiro encontro foi no Abrigo Casa Limiar que fica próximo a Vila São José, o abrigo é uma organização não governamental (ONG) brasileira, sem fins lucrativos, fundada em 1984, que vem se dedicando às crianças que são encaminhadas pelas Varas da Infância e Juventude por se encontrarem em situação de risco pessoal e social, impossibilitados de permanecerem com a família ou em situação de abandono. São crianças com problemas de saúde que necessitam de tratamento médico/hospitalar. Portanto cada criança abrigada na Casa Limiar tem um motivo específico para permanecer abrigada. No dia da primeira visita, fui sozinho e acabei me interessando por essas crianças, logicamente vi também um grande desafio e responsabilidade ali postado diante de mim. Conversei com meu amigo júlio e acabamos fechando um contrato com o Abrigo, trabalhando com 10 oficinas artísticas (usando a teoria do behaviorismo radical) em crianças (ambos os sexos) entre 11 á 14 anos de idade num grupo de 6 ao total até o final de todas as oficina (80 horas). Marcamos nossas oficinas das 13:40 ás 15:30pm, todos os sábados (2009).

O quarto encontro acabou não acontecendo (agradecemos ao Sr. Odair Andrade do ProBrasil pelo contato por e-mail), porque conseguimos concluir os estágios necessários em curto prazo de tempo. O que nos permitiu ser um dos primeiros grupos da classe em já começar estagiar. Outro fato é que alguns grupos, desenvolveram os estágios num único lugar, fazendo o social e o comportamental juntos. A ídeia de fazer um estágio em cada lugar, de fato foi poder ter mais experiências nestas áreas, pois temos interesse na Psicologia Social e Clínica, e o melhor caminho é vivenciar estas novas possibilidades, desafios e responsabilidades.
--------------------------------------------------

Nenhum comentário: